Blog

A Bola e a Caverna | The Ball and The Cave

11 de julho de 2018

Estamos vivenciando e assistindo cenas de comoção em torno do resgate dessas crianças da caverna na Tailândia. Do trabalho todo sendo feito por verdadeiras pessoas com um coração grandioso e anônimo.

Do outro lado, um espetáculo gigante sendo transmitido ao vivo para o mundo todo, a Copa do Mundo na Rússia, cheio de estrelas, recebendo milhões e compromisso zero com a vida, a sociedade e o ser humano.

Essas duas realidades nos levam a refletir que quando o ser humano age com a entrega sem buscar reconhecimento, fama e fortuna, ele é capaz de realizar obras fantásticas como esse trabalho maravilhoso da Tailândia. Quando o ser humano age em prol da realização do ego, fama e poder faz essas coisas que no fundo se analisarmos, qual diferença faz quem será campeão do mundo diante das dificuldades e drama dessas famílias e garotos e dessas pessoas anônimas empenhadas em salvar essas vidas, colocando as suas em risco para essa tarefa.

Viver é um risco e só quem está disposto a correr riscos é que conseguirá realizar grandes obras.

Logo veremos muita gente que não participou de nada disso de nenhuma forma posando em fotos, selfies e imagens sendo veiculadas pelo mundo e esses anônimos que fizeram todo esse trabalho sendo esquecidos por todos.

“A vida é injusta”, dizem. Não, a vida nunca é ou foi injusta, somos nós que precisamos transformar nossos valores e realmente valorizar quem faz as coisas verdadeiras e não dar tanto valor e importância para aquilo que não passa de ostentação e sustentação de ego, poder e fortalecimento para as diferenças entre os seres humanos.

Essa realidade que vivemos nesse momento deixa muito claro isso, onde estão os famosos “heróis” da copa? O que fizeram de verdade e o que estão fazendo nesse exato momento pela melhoria da qualidade de vida no planeta?

Agora, quando você vê esses heróis da Tailândia, anônimos e sem salários vultuosos , comece a refletir quem realmente valoriza a vida e a importância dela. Quem se submeteria a salvar um punhado de anônimos perdidos em uma caverna? São pessoas assim que o mundo está precisando, pessoas que fazem a diferença e não estrelas apagadas que o brilho só ilumina seus egos os quais acham que são intermináveis.

Que todos nós possamos aprender uma grande lição nesse momento que estamos vivendo essa enorme dualidade: de um lado astros da Copa do Mundo sendo anônimos em questão de cuidados com a vida; e do outro, anônimos sendo grandes estrelas na dedicação de cuidados e preservação da vida.

Essas duas realidades nos mostram que quando o ser humano se dedica, ele tem capacidade de realizar um trabalho fantástico e que também quando ele tem sua capacidade de amar pequena, ele se torna ridículo como todos esses astros preocupados somente com seus egos e poder. Estão sendo nesse momento e sempre o são, quando pensam que correr atrás de uma bola e fazer alguns gols irá mudar o rumo da história da humanidade.

O rumo da história sempre será feito por esses anônimos que acordam cedo, levam uma vida sem glamour e que realizam suas atividades com responsabilidade e dedicação incansavelmente todos os dias. Não pelo que recebem, mas pelo que podem dar às pessoas que precisam do que elas fazem.

Quando me perguntam se o mundo tem jeito, sempre respondo que sim. Não por conta dessas estrelas sem brilho que só tem ego e pouco fazem para a sociedade, mas por conta dessas estrelas anônimas que levam seus brilhos para essas camadas desesperançadas da sociedade, transformando o que eles conseguem nessas vidas, mostrando que quando se faz com amor, o impossível não existe.


We are experiencing and watching scenes of commotion towards the rescue of these children in Thailand’s cave with a work being done by true people with a great and anonymous heart.

On the other side, a giant spectacle being broadcast live to the whole world, the World Cup in Russia, full of stars, receiving millions but zero commitment to life, society and human beings.

These two realities lead us to reflect that when a human being acts with surrender without seeking recognition, fame and fortune, he is able to do fantastic works such as this wonderful work in Thailand. When the human being acts for ego realization, fame and power does these things that if we analyze, what difference does it make who will be the world champion in the face of the difficulties and dramas of these families and boys; and those anonymous people committed to save those lifes, placing theirs at risk for this task.

Living is a risk and only those who are willing to take risks will be able to do great works.

Soon we will see many people who did not participate in any of this, but posing in photos, selfies and images being conveyed by the world and those anonymous who did all this work being forgotten.

“Life is unfair,” they say. No, life is never or was unfair, it is we who need to transform our values ​​and value who does true things and not give so much value and importance to what is nothing more than ostentation and ego support, enpowering and strengthening the differences among humans.

This reality that we live in that moment makes it very clear, where are the famous “heroes” of the World Cup? What have they really done and what are they doing right now to improve the quality of life on the planet?

Now, when you see these anonymous and unassuming Thai heroes, we begin to reflect who truly values ​life and its importance. Who would submit to save lost anonymous people in a cave? They are the people that the world needs, people who make a difference, not stars that are overshadow which their little brightness only illuminates their egos which they think that are endless.

May we all learn a great lesson at this moment, that we are living this enormous duality: on one hand, World Cup stars being anonymous in care of life; and on the other, anonymous being great stars in the dedication of care and preservation of life.

These two realities show us that when a human being engages, he has the capacity to do a fantastic job and that even when he has his capacity to love less, he becomes ridiculous like all these stars concerned only with their egos and power. They are in that moment and always are when they think that running behind a ball and making some goals will change the course of the history of humanity.

The history course will always be made by those anonymous who wake up early, and live a life without glamour and who carry out their activities with responsibility and dedication tirelessly everyday. Not for the money, but for what they can give to people who need what they do.

When I’m asked if the world has any hope, I always say yes. Not because of these dull stars that only have ego and do so little for society, but because of these anonymous stars that take their glow to these hopeless places of society, transforming what they can in those lifes, showing that when it is done with love , the impossible does not exist.



Back to blog list



Join Discussion